Testemunho: Alice Teixeira

Testemunho: Alice Teixeira

Olá chamo-me Alice e tenho 43 anos. A prática de desporto esteve sempre presente desde a minha infância. Mas uma das modalidades que me acompanhou desde os meus 14 anos foi o Karaté.

Ao longo destes anos todos tentei manter a forma, mas sempre com uns “quilinhos” a mais. Tudo mudou quando a minha cunhada Isadora me convidou para fazer uma aula de CrossFit, na qual ela praticava já algum tempo. Logo aceitei, pois vi resultados excelentes nela.

Primeira aula: uma receção espetacular, uma equipa fantástica sempre ao meu lado para não fazer nada para além das minhas capacidades. Foi então que me inscrevi, porque vi que ali sim, eu ia conseguir perder alguns “quilinhos”. E assim foi! Entrei para Box com 83Kg e em 7 meses perdi 10. Para mim foi um grande orgulho! Agora sim acredito nas palavras “ Não Desistir “.

Fez 1 ano em Fevereiro que entrei na Box 5.7 CrossFit e neste momento não tenho palavras agradecer a todos os meus Coachs,  Marcos, PaulinhoVera a paciência que têm tido comigo.

Um muito obrigado e um grande Beijo a esta Família que Somos:

5.7 CrossFit!!!

 

Testemunho: Cláudia Pinheira

Testemunho: Cláudia Pinheira

Podia escrever imensa coisa sobre “a vida na Box” mas cada treino é uma aventura que se vive de forma diferente.

Lembro-me da primeira vez que fiz um treino na Box. Dia 16 de Janeiro de 2017. Fui a convite de um amigo, sem saber bem para o que ia.

Deparei-me com gente de várias idades e com um treino super intenso (o meu primeiro WOD) e pensei “bem, se calhar nunca mais vou pôr aqui os pés, não vou ter capacidade para os acompanhar”. Tudo bem que gosto de desafios, mas um Tabata de Burpees no primeiro encontro não foi muito bonito. Mas a verdade é que nunca mais faltei a um treino.

Um grupo cheio de energia e com um espírito alegre, a começar pelos Coachs que foram as primeiras pessoas com quem tive contato. Fiquei cativada, perdoei os burpees e quis experimentar mais.

Sinto que o CrossFit mudou a minha vida quer a nível físico, por me sentir mais saudável e resistente, pois o facto de ser estudante não me permitia uma vida mais ativa; a nível social, por lidar com pessoas fantásticas que me inspiram com as suas histórias de vida, parceria e espírito de equipa; e, também, a nível pessoal, por conseguir superar desafios e perceber que nada é impossível, só basta querer.

Sinto-me super acarinhada, como se estivesse no meio de uma verdadeira família e tenho a agradecer imenso por isso.

Testemunho: Sílvia Dinis

Testemunho: Sílvia Dinis

Quando era adolescente fazia parte do pequeno grupo de raparigas que gostava de Educação Física. Pratiquei capoeira durante 1 ano, fiz 5 anos de danças de salão e participava em todas as atividades de desporto escolar. Entrei para faculdade e por falta de tempo coloquei o desporto de parte. Como é natural, engordei bastante durante todo o meu percurso académico e nunca senti vontade de fazer exercício (a preguiça veio com a idade).

Entretanto, terminei a faculdade e decidi que teria que me tornar um pouco mais saudável. Experimentei alguns ginásios: exercícios repetitivos, sem correção de postura, aborrecimento total, se não tinha companhia já não ia… resumindo: não senti grande diferença! Fiz também algumas dietas com as quais consegui perder algum peso mas não a vontade de comer. ☺

Em 2016 mudei-me para Guimarães. Novas rotinas, algum tempo livre, vontade de comer, medo de engordar! Em conversa com a Isadora, sugeriu-me que experimentasse uma aula de Crossfit, pois assim talvez pudesse comer mais à vontade e também libertar algum excesso de energia (muito!!!).

Assim, no dia 10 de Maio fiz a minha primeira aula: mountain climbers e sit-ups à mistura (em larga dose). Saí da Box a sentir-me bem. Uma hora de treino passou a correr e não foi assim tão mau! (mal eu sabia das dores do dia seguinte….). Como ainda não estava bem convencida, fui à segunda aula. Exercícios diferentes, correção de postura, exatamente aquilo que estava a precisar. Saí da Box inscrita e já não havia volta a dar. Fiquei tão viciada que no mês seguinte aumentei o número de aulas semanais.

Passaram-se nove meses e sinto-me cada vez mais motivada. Traço objetivos e vejo resultados. Troquei o “não consigo” pelo “vou tentar” ou “depois vê-se” e aplico isto também no meu dia-a-dia.

Obrigada Isa por me teres lançado neste desafio! Obrigada Paulinho pelos “fun warm-ups” que mudam por completo o meu dia! Obrigada Marcos e Vera por corrigirem sempre os meus movimentos e postura (Paulinho tu também o fazes!)

eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Muito obrigada Comunidade 5.7 por me recebem sempre tão bem! ☺
#Aquisoufeliz! #Jánãotenhomedodeengordar #Comeprafrente

Testemunho: Armanda Cerejo

Testemunho: Armanda Cerejo

Embora já tenha praticado algumas modalidades desportivas, depois de ter sido mãe, há 5 anos atrás, não tinha retomado qualquer atividade física, até que comecei a sentir necessidade de o fazer. A verdade é que não sabia muito bem o que me apetecia praticar e tudo servia de desculpa para um novo começo.

Foi então que em Março de 2017 entrei pela primeira vez na BOX 5.7 para experimentar CrossFit, algo novo para mim…

O primeiro impacto foi estranho, tudo o que ouvia era desconhecido, então o nome dos exercícios… Mas o que é certo, é que à medida que se explicava o treino, a minha vontade de executar os exercícios crescia… como se costuma dizer “primeiro estranha-se, depois entranha-se”.

Confesso que foi dureza… No dia seguinte doíam-me músculos que nem sabia que existiam.

Não me deixei vencer pelas dores e passados 2 dias lá estava eu para treinar outra vez, sentia que tinha um “bichinho” dentro de mim que precisava de ser alimentado. E de 2 em 2 dias lá estava eu, e o “bichinho” ia crescendo…

Nesta sequência de treinos, fui apercebendo-me que, para além do interesse nesta modalidade, existe muito mais dentro desta BOX que me motiva, desde a dedicação dos coaches à entreajuda dos atletas deste espaço.

Agora percebo o porquê de se falar em comunidade 5.7 CrossFit, porque de facto aqui sentimo-nos em casa, sentimos que se preocupam realmente connosco e nós próprios começamos a preocupar-nos com pessoas que mal conhecíamos.

Ainda não fez um ano que me juntei a esta grande comunidade, mas sinto que irei permanecer com ela muitos mais…

Obrigada equipa por me fazerem sentir interesse em voltar sempre ao próximo treino.

Armanda Cerejo

Testemunho: Fernando Lamosa

Testemunho: Fernando Lamosa

Enquanto criança e adolescente sempre fui bastante ativo, adorava jogar futebol, voleibol, BTT, frequentava o ginásio e até cheguei a treinar boxe. Com a chegada da idade adulta o carro substituiu a bicicleta, os fatos de treino e as sapatilhas foram encostados para um canto e a vida tornou-se sedentária, bastante sedentária. Durante os anos de universidade os hábitos alimentares degradaram-se muito, os horários eram os que calhavam e exercício nem vê-lo.

Resultado: uma licenciatura, 25 quilos e muitos maus hábitos.

Com 29 anos decidi que tinha de mudar. Ou era naquela altura ou nunca mais. Comecei por alterar a minha alimentação, resultou! Menos 7 quilos. O passo seguinte foi voltar a fazer exercício. Comecei por jogar futsal uma vez por semana e a fazer um pouco de BTT. Voltou a resultar, menos 3 ou 4 quilos. Mas não estava satisfeito. Já estava mais ativo mas continuava a não me sentir em forma e o meu corpo não estava como eu o queria. Ir para um ginásio estava fora de questão. Já frequentei vários e sei que não é para mim. Basicamente é aborrecido e desmotivante.
Foi então que ouvi falar do CrossFit!
Um amigo tinha começado a treinar na 5.7 CrossFit e não se calava com aquilo. “Tens de experimentar”, “aquilo é tipo a tropa”, “nem me consigo mexer”, “hoje fiz 150 flexões”, “não posso ver escadas à frente”, eram as frases que passei a ouvir todos os dias. Ora como para grandes males grandes remédios, decidi que o CrossFit era o meu próximo passo.

24 de Fevereiro de 2016, quarta feira, 19h, lá fui eu. A estratégia já ia planeada, era chegar lá e pagar logo a inscrição e um mês completo. Assim não havia volta a dar.

Burpees! 50! Wall Ball, Box Jump, bem se aquilo era a tropa eu já não queria ir para a guerra! Andei 15 dias sem conseguir mexer os braços. Nos meses seguintes as dores eram constantes, mas o interesse na modalidade ia aumentando. Hoje nem me passa pela cabeça a vida sem CrossFit. Não posso dizer que tenha sido uma adaptação fácil, mas provavelmente é essa mesma dificuldade, os constantes desafios que nos surgem, as diferentes técnicas que temos de aprender e desenvolver, que me motivaram e me prenderam ao CrossFit até hoje. Nesta modalidade não há lugar ao aborrecimento, ao comodismo nem à rotina. Todos os dias é diferente, mais desafiante e rapidamente sev torna mesmo um vício. Nunca na minha vida imaginei ou sequer acreditava que iria fazer exercícios em argolas ou barras fixas e muito menos iria praticar weightlifting. Hoje faço isso tudo e gosto.

Os resultados são impressionantes! Perdi peso, perdi volume, ganhei massa muscular, sinto-me bem!

A juntar a tudo isto conheci uma comunidade espetacular onde existe um enorme companheirismo e entre-ajuda, onde as vitórias são de todos e os momentos menos bons são amortecidos pelo aconchego do grupo. Colegas e coaches o meu obrigado por tudo.

Recomendo vivamente o Crossfit a todas as pessoas independentemente da idade ou sexo.

Esta modalidade muda a vida das pessoas. A 5.7 CrossFit mudou a minha!

Testemunho: Hugo Fernandes

Testemunho: Hugo Fernandes

“Se Deus deu aos homens a capacidade de elaborar uma atividade física, é porque ele sabe, que a mesma pode transformar a vida das pessoas.”

A Box 5.7 CrossFit sem dúvida que transformou a minha vida para muito melhor.

Já tinha conhecimento que um dos meus grandes amigos de infância (Marcos Costa Pinto) iria abrir  a 1ª box afiliada de Guimarães, por curiosidade fui experimentar, corriam meados de Outubro de 2015. Fui juntamente com um colega de trabalho e acabei por ficar, foi amor à primeira vista, se bem que saí do treino sem ver nada pois estava completamente de rastos. 😀

Já nem me lembro do que foi mas sei que tinhas burpees e mal eu sabia que iria ser uma das palavras que iria ouvir mais nos próximos tempos e que eu nem sabia que vinha no dicionário, quanto mais nos exercícios físicos.

Sei que me fez lembrar dos momentos em que estive no exército e foi das melhores alturas que tive a nível físico e psicológico na minha vida e isto ajudou-me muito a querer voltar e a inscrever-me.

“Mente sã em corpo são”

Até então frequentava um ginásio como muitos de nós, mas já não havia motivação, entretanto fui jogar futsal para a 3ª divisão, mas como era guarda-redes não me mexia tanto. Até que finalmente encontrei algo que me preenchia. O CrossFit.
Acabei por reencontrar amigos de escola, amigos da vida e principalmente a box deu-me a conhecer pessoas novas e sem dúvida pessoas fantásticas o que me fez querer voltar cada vez mais à nossa “caixota”.

Fiquei sem dúvida apaixonado pelos momentos proporcionados na “nossa” casa e mesmo dos nossos convívios únicos que temos.

Além dos grandes atletas com quem partilho a box, tive o prazer de conhecer grandes mestres, como o meu amigo de infância Marcos Costa Pinto que sempre me ajudou e é um confidente a quem agradeço muito, ao Paulo Almeida que já deve estar farto de me aturar, principalmente quando vou à hora de almoço e leva comigo uma hora sozinho, obrigado.

À nossa grande Vera Silva, obrigado por toda a paciência em todos os treinos e por não nos deixares desistir, fazes mesmo lembrar o exército (eheheheh) e ao grande Bruno Matos que, nos inícios nos dava cabo do corpo e sempre me irei lembrar de que “convém respirares senão podes morrer”. Eheheh, palavras sábias meu amigo. 😀
Sem esquecer a minha amiga de infância Nádia Costa Pinto que nunca nos deixa desistir e está sempre a ajudar-nos.

Obrigado a todos por ajudarem a pintar a tela da minha vida com cores mais alegres. 😀
Obrigado pela comunidade que construímos.
Obrigado 5.7 Crossfit.

Até já.